[i]da arquitectos | projects_hide
02.jpg 01.jpg 03.jpg 03a.jpg 02 (2).jpg 03 (2).jpg 04.jpg 05.jpg 06.jpg 07.jpg 08.jpg 09.jpg 10.jpg tav5a.jpg
  • 02.jpg
  • 01.jpg
  • 03.jpg
  • 03a.jpg
  • 02 (2).jpg
  • 03 (2).jpg
  • 04.jpg
  • 05.jpg
  • 06.jpg
  • 07.jpg
  • 08.jpg
  • 09.jpg
  • 10.jpg
  • tav5a.jpg

Linha do Tejo, Médio Tejo (pt)

Internacional Competition 

with RicciSpaini, Alberto Ferlenga, Stefan Tischer

 

Date: 2007

Client: Municipality of  Abrantes, Chamusca, Constância e Vila Nova da Barquinha

Program: Tagus River Banks Development

Architecture: Ivan de Sousa, Ines Antunes, RicciSpaini, Alberto Ferlenga. 

Landscape: Stefan Tischer

Model photo: Ivan de Sousa

Re-interpretar a Linha do Tejo 
Para encontrar uma resposta à problemática contemporânea comum às subregiões do Tejo consideramos que seja necessária uma reflexão à escala nacional e não apenas limitada à escala da subregião do Médio Tejo. Interferir simplesmente numa pequena porção do território, sem uma estratégia comum, significa modificar, inevitavelmente, o carácter estável de todo o sistema. Cada sub-região ao longo do Tejo constitui um fragmento rural autónomo e definido mas só o seu conjunto constitui uma unidade real, histórica e física – A Linha do Tejo. 
A “Linha do Tejo”, actualmente, apresenta-se como uma rede de sub-regiões sem continuidade, preenchida cada vez mais pela colonização de infra-estruturas, áreas residenciais de baixa densidade, complexos comerciais e industriais provocando uma forte crise na identidade deste território. É por isso fundamental uma estratégia global capaz de incidir em múltiplos e diferentes campos (cultura, ambiente, sociedade, economia) capaz de estabelecer um marketing territorial estável e atribuir ao Rio um novo significado restituindo o seu papel dinamizador...

01.JPG


500_50.jpg